❮  Voltar para listagem

Artigo escrito por Lauren Peres Lorenzoni, Giovana Dutra e Debora Seminoti Tamiosso da Universidade Federal de Santa Maria.

Lançado no ano passado, o Programa Inovação Além do Arco é uma série de vídeos que tem como foco principal dar visibilidade para o conhecimento gerado na Universidade Federal de Santa Maria. Os vídeos são divulgados semanalmente no canal da Agittec no Youtube, redes sociais e site.

A primeira temporada teve como foco a agrotecnologia e as foodtechs. A segunda, mostrou o trabalho dos laboratórios e grupos de pesquisa voltados para engenharias e tecnologias estratégicas. Atualmente, está acontecendo a terceira temporada, que a cada semana apresenta uma das startups que estão instaladas nas incubadoras tecnológicas da Universidade.

No primeiro episódio da terceira temporada, conhecemos a Fox IoT, startup que está incubada na UFSM desde 2017 e atua no desenvolvimento de soluções tecnológicas para o setor de energia elétrica, empregando o conceito de internet das coisas. Os principais produtos da empresa são voltados para o atendimento de concessionárias de energia. Dentre eles, estão o monitoramento de transformadores de distribuição em tempo real e a telemedição de unidades consumidoras. Todas as soluções são focadas em Smart Grids – grupamentos que utilizam a tecnologia da informação para fazer com que o sistema elétrico seja mais confiável, eficiente e sustentável.

Recentemente, a Fox IoT auxiliou na implantação do sistema de monitoramento de transformadores dentro das instalações do Campus Sede da UFSM, a fim de contribuir com a análise do consumo de energia e com as ações de eficiência energética da Universidade. O monitoramento tem permitido análises de consumo de maneira descentralizada, proporcionando recompensas aos centros de ensino que apresentarem maiores economias, além de inúmeras ações de eficiência.

A protagonista do segundo episódio foi a Softaliza, que trabalha com soluções tecnológicas para a área de gestão e execução de eventos on-line, híbridos e presenciais. A startup iniciou sua trajetória com um programa de gerenciamento de associações e, a partir da observação das necessidades dos clientes, criou outra plataforma para gestão de eventos científicos.

Em março de 2020, a Softaliza desenvolveu a Ciente Live, um sistema para realização de eventos virtuais, tanto científicos como corporativos e feiras de negócios. Recentemente, foi lançada a Ciente Studio, uma plataforma completa para organizadores de eventos, com várias formas de personalizar as atividades conforme as necessidades de cada cliente. Para a equipe, encontrar soluções para auxiliar organizadores de eventos é também contribuir para a disseminação de conhecimento e o fortalecimento da educação.

Na semana seguinte, foi a vez de conhecermos a empresa Syntesis IT, que pertence ao Grupo Voalle e está localizada junto ao Parque Tecnológico da UFSM. A Syntesis trabalha com soluções de tecnologia e infraestrutura, tendo como objetivos o atendimento das demandas do mercado na área de Tecnologia da Informação (TI) e da gestão da Unidade de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Grupo Voalle. A empresa tem em seu portfólio produtos e serviços como: virtualização de servidores, infraestrutura para hospedagem de servidores, servidores RADIUS de alta disponibilidade, e-mail e comunicador corporativo, hospedagem de sites e projetos customizados.

O CEO do Grupo Voalle, Gilnei Engelmann, conta que a localização da sede junto à Universidade é estratégica. O propósito é criar um ecossistema colaborativo entre empresas incubadas na UFSM e a comunidade acadêmica, evoluindo produtos e soluções por meio do compartilhamento de conhecimentos e da parceria com professores, pesquisadores e alunos da UFSM, e impulsionando a região como referência no Estado na área de TI.

O quarto episódio apresentou a Zeit, startup de análises químicas que está incubada na UFSM desde 2020 e tem como foco tecnologias portáteis para o agronegócio. A empresa trabalha com portabilidade em análises químicas, utilizando big data e atuando de maneira integrada com a tomada de decisão do cliente. O objetivo principal é simplificar os processos de análise e entregar economia de tempo aliada com maior rentabilidade. Para isso, a equipe utiliza dispositivos portáteis para fazer a análise das amostras em campo. Todas as informações coletadas são enviadas via bluetooth para um aplicativo de celular, que decodifica os dados recebidos e transmite os resultados para o cliente em poucos minutos.

A expertise da Zeit já tem feito a diferença em vários nichos. Recentemente, a startup desenvolveu uma nova tecnologia ao lado de um grande parceiro, a Genesis Group. Dessa união de esforços, nasceu uma nova empresa, a Nira, que atua na cadeia de grãos, com o mesmo foco em análises portáteis, confiáveis e assertivas nas propriedades rurais, armazéns e fábricas, possibilitando a tomada de decisões com mais agilidade e impactando positivamente na eficiência de toda a cadeia produtiva.

O quinto episódio mostrou o trabalho da Mobart, startup que trabalha com um aplicativo que busca soluções inovadoras no mercado da arte através da realidade aumentada, tornando dinâmica a relação entre galeria, obra e cliente. O aplicativo Mobart reduz custos, riscos e otimiza tempo, uma vez que as galerias de arte passam a ter todos os seus acervos na palma da mão.

Por meio da realidade aumentada, é possível simular a exibição das obras de arte em qualquer espaço, em ambientes onde se deseja instalar ou expor uma obra, ou uma coleção delas. A tecnologia permite também o compartilhamento entre galerias e seus clientes, bem como vendedores e parceiros. Dessa forma, facilita-se a logística, resultando na redução de custos e de problemas na operação. A plataforma está disponível em versão mobile, Android ou IOS, e também para desktop, suportando todo processo de aquisição e fornecendo informações atualizadas.

No sexto episódio conhecemos a Gestão DS, uma das empresas graduadas pela UFSM. A startup trabalha com um software que oferece funcionalidades para otimizar o cotidiano de consultórios médicos, como: marcação online e confirmação automática de consultas, prontuários eletrônicos 100% personalizáveis, organização das finanças, ranqueamento de pacientes e envio de e-mails automáticos.

Com o início da pandemia de COVID-19, a Gestão DS foi uma das primeiras empresas a implementar, dentro de um software de gestão, a telemedicina. Nesse mesmo período, a empresa triplicou o tamanho da sua equipe, passando de 13 para 31 colaboradores. Com isso, a equipe sentiu a necessidade de um espaço maior e a empresa se mudou para uma sede própria, tornando-se uma empresa graduada.

Você pode assistir esses e os próximos vídeos da terceira temporada no nosso site.  Os episódios das duas primeiras temporadas também estão disponíveis. Para não perder nenhum programa daqui para frente, fique ligado nas nossas redes sociais e inscreva-se no nosso canal no Youtube. Os vídeos são publicados no fim da tarde de cada sexta-feira.

Conteúdos Relacionados

Cases de Indústria 4.0 na John Deere

Nesta matéria são apresentados cases de aplicação de Machine Learning e Ferramentas Inteligentes utilizadas pela John Deere. Acessar matéria    ➔

O CAM não é mais somente um CAM

Muitas vezes, classificamos o CAM apenas como uma ferramenta de apoio para os programadores ou operadores de máquina criarem as programações de suas peças. E se o CAM pudesse auxiliar não só o setor de programação de forma direta, mas sim toda a empresa? Acessar matéria    ➔

Laboratório Móvel da UFSM contribui com o mercado de mobilidade elétrica da América Latina

Nesta notícia é apresentado o projeto da UFSM em parceria com a CEEE-D e a FATEC para a instalação de estações de recarga de veículos elétricos por uma rota do Mercosul. Acessar matéria    ➔